Criação de Luis Gustavo, "Sai de Baixo" acabou com reinado de Silvio Santos

Quando Luis Gustavo apresentou a Daniel Filho, um dos diretores mais respeitados da TV, a ideia do "Sai de Baixo", a Globo vivia um verdadeiro drama na faixa pós-"Fantástico". De "Lois e Clark: As Aventuras de Superman" a "Nova York Contra o Crime", tudo o que a emissora exibia entre 22h30 e 23h30 perdia de lavada para o "Topa Tudo Por Dinheiro" de Silvio Santos. Quis a história que o Largo do Arouche roubasse da Vila Guilherme os pontos de audiência que Hollywood não conseguiu engajar.

Gravado como os seriados dos primórdios da TV, o "Sai de Baixo" chegou à programação da Globo em 31 de março de 1996. Logo na estreia, fez o ibope da rede subir de 17 para 26 pontos. O SBT, acostumado com índices na casa dos 35, encolheu na mesma proporção, empatando na ponta. Sete dias depois, a virada: 31 a 22. Pela primeira vez em mais de doze meses Silvio Santos perdia a ponta na "última sessão" dos domingos.

Ciente da força do "Sai de Baixo", Silvio Santos contra-atacou com sua melhor arma: a programação flutuante.

Em vez de encerrar o "Topa Tudo Por Dinheiro" às 23h30, Silvio resolveu esticá-lo até 0h, para poder enfrentar "Lois & Clark: As Aventuras de Superman" por quase 45 minutos e, assim, descontar a desvantagem imposta pelo humorístico.

A ironia nessa história toda: Daniel Filho ofereceu o "Sai de Baixo" ao SBT, mas o canal recusou o projeto.