RedeTV! vai tentar "rebranding" inacessível à Jovem Pan

A RedeTV! demitiu Luís Ernesto Lacombe. Ninguém vai sentir falta. O "Opinião No Ar" tinha três debatedores e zero espectadores. Era um fracasso retumbante, incapaz de superar a Gazeta no ibope da Grande São Paulo. Havia ainda um programa de entrevistas, o "Agora com Lacombe", que estreou com o bizarro marketing do "quatro programas em um" --era sempre a mesma porcaria, só mudavam a disposição do cenário--, e o "RedeTV! News", devolvido para Augusto Xavier, ótimo apresentador inexplicavelmente desprezado pela emissora.

Quando a Jovem Pan começou sua queima de estoque, logo após a vitória de Lula, muito se falou sobre uma guinada editorial na empresa, incansavelmente associada ao bolsonarismo. Isso caiu por terra no dia em que o Teleguiado repercutiu os substitutos de Augusto Nunes e Guilherme Fiuza. Tutinha estava cortando gastos e evitando multas, nada mais. O empresário tem fama de maluco, mas é muito inteligente. Ninguém sabe mais do que ele a improbabilidade de a Jovem Pan sobreviver com outra linha editorial. Seria uma jogada mais estúpida que a da Editora Abril, que em 2015 pretendia deixar de ser antipetista e viver às custas de uma versão estranha do "Huffington Post", site progressista ruim de audiência. A Panamericana pariu o filho e vai embalá-lo até o fim.

Em queda livre no ibope, a RedeTV! não tem laços definidos com o bolsonarismo. Nenhum programa tocado por Lacombe fez sucesso nesses dois anos. Estatisticamente, a pochete cor neon deu mais certo que o neoconservador em TV aberta. O "RedeTV! News", estupidamente entrincheirado na faixa em que todas as concorrentes exibem seus jornais, só sai do ostracismo em dias de entrevista com Jair Bolsonaro ou em função do ibope do "Alerta Nacional", de Sikêra Jr. A missão bolsonarista da RedeTV! era tão fraquinha que até Marcelo de Carvalho acabava compartilhando vídeos da Jovem Pan.

A RedeTV!, para sobreviver, terá de voltar a fazer televisão. Boas peças existem lá dentro. Ronnie Von funcionaria bem em horário nobre. João Kléber é bom de números. O "Operação de Risco" faz milagres aos sábados. O próprio Sikêra Jr. pode recuperar o ibope de 2020. Basta querer. Impossível mesmo era fazer TV de resultados com Lacombe. Página virada.