Conecte-se conosco

Poder

A estratégia dos bolsominions para limpar a barra de Flavio Bolsonaro: Kopenhagen

Os bolsominions têm usado uma franquia da Kopenhagen para justificar os 48 depósitos suspeitos creditados a Flavio Bolsonaro.

Pois bem.

As franquias da chocolateria rendem, pelas estimativas do mercado, entre R$ 60 mil e R$ 80 mil mensais de faturamento bruto, menos que os R$ 96 mil reportados no relatório do Coaf.

“A loja do Flavio não pode faturar mais que a média do mercado?”, questiona o leitor desconfiado.

Pode. O problema é: nenhuma loja de shopping opera com 100% das vendas em dinheiro. De acordo com o Banco Central, 60,9% dos consumidores ainda usam o dinheiro em espécie para pagamentos – a tendência é que o dinheiro de plástico ultrapasse as cédulas no mundo inteiro até o fim de 2022.

Para piorar a narrativa, os defensores de Flavio Bolsonaro não são nem um pouco discretos. Basta uma passada no Twitter para constatar o comportamento robótico da turminha.

Mais Lidas