RSS

teleguiado.com

Silvio Luiz é mais um gol da televisão brasileira, meu povo

O gol do atacante Dudu sobre a Colômbia garantiu ao Brasil a liderança do ranking da FIFA e um instante de nostalgia para todos que amam a televisão, o esporte e, principalmente, o esporte na televisão.

Não fosse a testada do palmeirense de 1,67m, no início do segundo tempo, o público não teria a satisfação de ouvir “mais um gol brasileiro” na voz de Silvio Luiz. Nem conferir com ele no replay a bola balançar o capim no fundo do gol, antes da sinfônica sequência do “foi-foi-foi-foi”.

Aos 82 anos, Silvio Luiz continua fora de série. Está afastado dos grandes eventos esportivos, como aliás estão os contratados de todas as concorrentes da Globo, mas continua afiado, bem-humorado e apaixonado pelo trabalho. Quarta-feira, ao lado do sábio China e auxiliado pro Luiz Ceará, outros talentos da velha guarda, fez a transmissão mais divertida e prazerosa do pool dos amigos da Chapecoense. Provou, a exemplo do que fez na Rádio Record em 1982, que nenhum contrato ou equipamento podem transpor o talento de um gênio.

Gênio, sim. Porque qualquer um pode ganhar visibilidade legendando as melhores imagens dos melhores campeonatos. Mas poucos são os que seguram a audiência, sem chateações ou enganações, transmitindo esportes desconhecidos ou indesejados. Silvio Luiz é, dos profissionais em atividade, o único que entretém o telespectador durante um jogo ruim da Série B. O único que convence o telespectador a esperar o circuito oval secar – circuitos ovais nunca secam. O único que justifica um Tenerife x Valladolid na manhã de domingo. Ou um EUA X Trinidad e Tobago no meio da madrugada.

Não sei quando a RedeTV! vai exibir outro jogo da seleção brasileira. Ela chegou perto da Série A do Brasileirão em 2011, mas tomou uma rasteira dos clubes. Pouco importa. Quem tem Silvio Luiz vibra com todos os gols. Porque ele é mais que um narrador. É um artista. Um artista sem igual.

Leia também

Compartilhe esta notícia